Select Language

Check Application Status
en

Resource Zone

Vamos brincar de aposentadoria

Angelia Z. Shay, CLU, ChFC

Rate 1 Rate 2 Rate 3 Rate 4 Rate 5 0 Ratings Choose a rating
Please Login or Become A Member for additional features

Note: Any content shared is only viewable to MDRT members.

Por que os pré-aposentados precisam experimentar a aposentadoria antes de realmente fazer isso?

Uma das primeiras coisas que digo aos clientes é: "Esta é a sua primeira vez aqui. Mas eu estive nisso, provavelmente, 800 ou 900 vezes nos últimos 25 anos. E há algumas coisas que você precisa ouvir.

"Você não pode se aposentar de; você precisa estar aposentado para. Se você relembrar o tempo do ensino médio ou faculdade, quando você era convidada para uma festa, sendo uma jovem mulher, você comprava um vestido e o experimentava. Você colocava os saltos e observava o resultado, além de analisar como você se sentia antes de realmente vestir a roupa. Eu vou encorajá-lo como cliente, então vamos brincar de aposentadoria e falar sobre como é isso."

Muitas vezes, os clientes que me procuram têm muitas férias vencidas e que não aproveitaram. Então, eu digo: “Você diz que deseja morar na Flórida; então, por que você não tira duas ou três semanas de férias e vai para lá durante esse período? Vamos ver como você se sente lá."

Às vezes, há um cônjuge que vai se aposentar antes do outro. "Nós não sabemos como isso vai funcionar. Então, deposite o salário do cônjuge que deseja se aposentar e veja como isso pode funcionar. Você está dizendo que vai acabar com essa renda, então vamos começar a depositá-la."

A mentalidade dos chamados baby boomer, pessoas que nasceram entre 1945 e 1964, era: "Hoje estou trabalhando e amanhã eu penso em aposentadoria. Está resolvido." Em vez disso, nós construímos uma visão de como seria a aposentadoria.

Nós poderíamos dizer que, nos próximos três anos, você pode entrar em fase de aposentadoria? Seu empregador permitirá que você trabalhe apenas meio período? Talvez apenas 20 horas por semana, três dias por semana. Mas nós começamos a transição para alcançar a aposentadoria. Na minha experiência com meus clientes, essas pessoas se aposentam bem. Eu tenho conseguido que eles se envolvam em trabalho voluntário. O que vejo isso como algo positivo pois aqueles que não fazem isso antes de se aposentarem, também não o fazem depois da aposentadoria. É tarde demais.

Eles precisam começar a implementar essas atividades antes da aposentadoria, caso contrário, - eu já vi isso mil vezes - eles se aposentam hoje e depois dizem: “OK, vou pegar um mês de folga." Eles adquirem o hábito de assistir TV, não saem ou fazem coisas dentro de casa que precisavam ser feitas a muito tempo. E, então, eles nunca implementam atividades para sair de casa.

Parte do problema que temos não é que todas as pessoas são iguais. Você tem alguns clientes que entram no escritório e você percebe que quando eles dizem que vão fazer alguma coisa, eles realmente cumprem aquilo. Então, você nem se preocupa com isso.

E você tem aqueles clientes que dizem que vão fazer algo e esse dia nunca chega. Eu tenho uma senhora que foi indicada por um dos meus clientes. Ela já estava aposentada há três ou quatro anos. Durante uma das primeiras conversas que eu tive com ela, eu disse: "Diga-me como tem sido desde que você se aposentou. Diga-me como é um dia na sua vida. " Grande parte da conversa foi sobre "Quero começar", "Gostaria de começar" e "Sei que preciso". Mas ela ainda não fez nada e estamos há três anos nisso.

Eu disse a ela: “Você realmente precisa começar a gerenciar seu estilo de vida. Diga-me como está sua saúde em relação ao que você imaginava quando se aposentou." Então, eu apenas me sentei e fiquei quieta. Quando ela começou a refletir, ela se apropriou do fato de que não sabia o motivo pelo qual se aposentou. A vida dela não melhorou. Ela está sozinha. Ela está deprimida. Ela está triste. Ela não recebe a visita de ninguém. A visão que ela teve não foi entregue.

Uma das coisas que eu pensei foi apresentá-la ao Candy Stripers, que são voluntários que ajudam em um hospital local. Eu tenho uma cliente de 67 anos e ela é uma Candy Striper no hospital, então eu conectei as duas. Ela realmente se pressionou para sentar-se na mesa e apenas dizer os números dos quartos para quem perguntava. Então, ela começou a fazer isso. Ela está fazendo o tanto que poderia? Não, mas pelo menos ela está fazendo alguma coisa. E esses são os casos que realmente podem deixar você triste. Você não pode pressionar alguém a fazer algo. Você não pode aumentar a qualidade de vida deles.

Mas, agora, eu posso usar a história dela para falar com outras pessoas. Isso é o que eu vi. E aqui está como isso a afetou. Dá mais validade, mas é triste porque eu não consigo consertar tudo.

Angelia Shay é membro da MDRT há 20 anos, de Glen Allen, Virgínia. Ouça mais no episódio do Podcast da MDRT “Os tópicos sobre aposentadoria que clientes e consultores devem falar mais” na Zona de Recursos em mdrt.org.

Contato: Angelia Shay angie@thepathfinancial.com

 

{{GetTotalComments()}} Comments

Please Login or Become A Member to add comments