Select Language

Check Application Status
en

Resource Zone

Histórias reais de seguros de vida em ação

Yakov Baylis, CLU, ChFC

Rate 1 Rate 2 Rate 3 Rate 4 Rate 5 0 Ratings Choose a rating
Please Login or Become A Member for additional features

Note: Any content shared is only viewable to MDRT members.

Persistência até o pai ou a mãe aumentarem sua cobertura.

Você precisa cuidar da sua família primeiro, quando você atua neste ramo. Há alguns anos, eu avaliei a situação dos meus próprios pais e cheguei à conclusão de que meu pai, que é anestesiologista, não tinha cobertura suficiente e que ele não falava com ninguém sobre os benefícios. Ele não queria aumentá-los.

Mas eu poderia dar um empurrãozinho como seu filho, e ele me ouviria. Eu tinha o apoio da minha mãe, que trabalhou como um agente de telemarketing para uma seguradora por muito tempo. Assim, eu ficava dizendo ao meu pai: "Precisamos adquirir um desses". Apesar disto, ele não concordava, e eu tinha de continuar pressionando. É bom ficar pressionando? Não, mas eu sou filho dele e sabia que isto era importante. Ele precisava da cobertura.

Finalmente, ele conseguiu um ótimo negócio para aumentar sua cobertura de seguro de vida. Ele também acrescentou cuidados de longo prazo, apesar de ter dito: “Isto eu não quero. Se eu ficar doente, não vou querer viver dessa maneira". E eu continuei pressionando e ele acabou dizendo “OK, Tudo bem". E ele contratou o seguro. Na verdade, ele foi aprovado como cliente preferencial, o que é difícil no caso de cuidados de longo prazo.

Avançando a fita para alguns anos mais tarde: Ele ficou mesmo doente. Os médicos diagnosticaram uma doença rara nele: a síndrome de degeneração corticobasal. Infelizmente, ele foi forçado a se aposentar também.

E a partir daí, entrou em decadência. Em pouco tempo, ele teve de apelar aos cuidados de longo prazo. Aquele plano, pelo qual ele não estava pagando muito, e que ele não queria, está pagando pelo seu tratamento em casa hoje.

Os médicos deram a ele um diagnóstico terminal. O sinistro reconhecido pelo seguro de vida pagou mais de 99% do benefício. Contar com isto e poder cuidar da sua própria família significa muito para o meu pai. Até hoje, eu acredito que o meu pai tem o desejo de viver, graças a isso. Ele pôde conhecer meus filhos, que ainda não tinham nascido na época em que ele ficou doente.

É uma doença complicada e uma vida difícil para o meu pai. Entretanto, eu não sei como a minha família estaria hoje se essa cobertura não tivesse sido contratada.

Yakov Baylis é membro da MDRT há três anos, de Downers Grove, Illinois. Fale com ele pelo e-mail yakov.baylis@prudential.com.

 

{{GetTotalComments()}} Comments

Please Login or Become A Member to add comments